Google Wave agoniza, mas não morre

Alguém ainda se lembra do Google Wave? O entusiasmo com o serviço do Google sumiu, por causa dos bugs. Agora, a equipe que o criou conseguiu corrigir algumas falhas.

Pode ser tarde demais. O tempo passou e boa parte dos usuários simplesmente deixou de surfar por ali. Recuperar o interesse desse público vai ser bem difícil – e olha que o pessoal foi bastante paciente. O Google errou ao lançar um produto que ainda não estava nem um pouco pronto. Tudo bem que o pessoal de Mountain View geralmente põe no ar ferramentas inacabadas, que são aprimoradas com o passar do tempo. Mas apesar da proposta revolucionária de permitir colaboração e comunicação em tempo real, o Wave tinha (ainda tem) problemas graves de usabilidade e estabilidade.

Ondas muito grandes explodem. O uso de muitos gadgets também provoca o mesmo desastre. Alguns robôs são temperamentais, e funcionam quando querem. Usuários podiam editar à vontade o conteúdo, o que facilitava o vandalismo e a inclusão de conversas que não tinham relação nenhuma com o tópico. Para piorar as coisas, quem entrava pela primeira vez no serviço também ficava completamente perdido. A pergunta mais frequente que se ouvia era “O que eu faço agora, meu Deus?”.

Para reverter o desastre, a equipe de desenvolvimento do Wave incluiu um painel com seis templates prontos. A ideia está em dar uma ajuda para os usuários perdidos, ensinando o pessoal a criar documentos, abrir uma discussão, montar uma lista de tarefas, fazer reuniões ou iniciar um brainstorm. Além disso, agora é possível remover um participante de uma onda (aleluia) e, desde o fim de março, quem deseja pode receber notificações por e-mail (já era tempo).

Mesmo assim, há muito trabalho a fazer. Muita gente ainda usa as ondas públicas e algumas empresas apostam na colaboração para criar novas ferramentas. A multidão de surfistas da web, no entanto, continua a preferir ondas mais suaves.

Anúncios

Alertas do Wave à mostra no desktop

Um ponto fraco do Wave é não avisar sobre novas mensagens. Uma saída, para quem usa o Chrome, é usar o Google Wave Notifier. Trata-se de uma extensão que mostra o número de ondas com novas mensagens. Outra saída é usar o robô XMPP Lite. Adicione o usuário -xmpp@appspot.com em sua lista de contatos e à onda que você deseja monitorar, pressionando o botão Subscribe. Depois, inclua esse e-mail no Google Talk. Com isso, as mudanças nas ondas serão anunciadas com mensagens.