Firefox 7 será 50% mais rápido, diz Mozilla

Seguindo as promessas relativas ao esquema sequencial de lançamento das atualizações do Firefox, a Mozilla anunciou que a 7ª versão usará até 50% menos memória que as anteriores.

De acordo com um dos desenvolvedores da Mozilla, Nicholas Nethercote, o Firefox 7 será até 50% mais rápido que as versões anteriores, não desenvolverá problemas de desempenho por longos períodos de uso e também irá corrigir bugs relativos ao uso da memória.

Os problemas de capacidade de memória do Firefox é uma das principais preocupações da Mozilla, que viu seu browser enfrentar falhas de desempenho e perder usuários para o Google Chrome.

Com estas correções a Mozilla pretende se recuperar e reassumir o posto de segundo browser mais utilizado no mercado, o que vinha acontecendo desde seu lançamento em 2004. Atualmente o Firefox está em sua quinta versão.

Anúncios

Saiba como navegar com segurança em 10 passos

Quem teria pensado que uma copiadora digital não era segura? E você sabia que as novas tecnologias tornam mais fácil do que nunca seguir seu rastro online? Manter seguro online costumava ser simples: use um software antivírus. Não mais. Há toda uma nova geração de ameaças à sua segurança e privacidade online. Vamos ver alguns dos mais recentes truques que os cibercriminosos desenvolveram, e 10 dicas para te ajudar a escapar dessas armadilhas.

Você não vai (ou pelo menos espero que não) atirar seus extratos bancários na lixeira sem rasgá-los. Mas se você jogar fora multifuncionais top de linha, sem retirar o disco rígido, está pedindo para ter problemas, diz Kevin Brown, gerente de testes no ICSA Labs, que testa produtos de segurança. Isso porque algumas copiadoras digitais e impressoras mantêm cópias de tudo o que produzimos em um disco rígido ou um módulo de memória flash. Se alguém encontrar esse dispositivo, não é difícil os ler.

Sim, isso soa muito forçado. Mas a Comissão Federal de Comunicações está preocupada o suficiente para investigar este problema, e alguns fabricantes de copiadoras estão dando um software que irá ajudá-lo a limpar um drive. E lembre-se: simplesmente apagar arquivos não faz desaparecer as informações. Ele apenas as torna mais difícil de encontrar.

Há outra ameaça relacionada às copiadoras também. Se você copiar coisas pessoais no trabalho (e quem já não fez isso) é simples para um administrador ver o que você xerocou, se a máquina está em rede. Além do mais, as senhas padrão para copiadoras em rede podem ser encontrada na internet, diz Brown.

Dica 1: Certifique-se de remover e limpar os HDs da impressora/copiadora antes de livrar-se delas.

Dica 2: Não copie nada pessoal em uma copiadora em rede de seu escritório que você não queira que o patrão veja.

Derrote os cookies Flash e os “supercookies”

Vários navegadores lhe dão a opção de selecionar uma opção de privacidade que supostamente permite navegar na Web sem deixar impressões digitais. Não acredite nisso.

Essa opção geralmente faz com que o navegador pare de armazenar as URLs das páginas que você visitou. Mas ele não faz nada para esconder as páginas e imagens que você viu de anunciantes que desejam veicular anúncios sob medida para você, ou pior ainda, de bisbilhoteiros como detetives privados e agentes da lei.

A solução antiga, apagar os cookies ou clicar em uma configuração que impede seu navegador de aceitá-los, é muito menos eficaz do que costumava ser. Isso porque muitos sites estão usando agora uma coisa chamada “Flash cookie”, que é mantido pelo plugin Adobe Flash por causa dos aplicativos Flash embutidos em páginas da Web, diz Peter Eckersley, pesquisador da Electronic Frontier Foundation.

Ao contrário dos cookies normais, os Flash cookies e uma variação conhecida como supercookie são armazenados fora do controle do navegador e os usuários não podem vê-los ou excluí-los diretamente, e eles nunca expiram. Eles podem rastrear os usuários de todas as formas que os cookies HTTP tradicionalmente fazem, e podem ser armazenados ou recuperados quando um usuário acessa uma página que contém um aplicativo Flash, diz Eckersley.

Há não muito tempo, o pior que podia acontecer é que você fosse rastreado e visse anúncios veiculados com base em seus hábitos de navegação, ou talvez tivesse o azar de alguém abrir seu navegador quando você estava longe do computador e visse um anúncio mostrando o que você estava fazendo online.

Agora, porém, parece que as informações que usuários dão voluntariamente para as redes sociais, além dos dados recolhidos pela nova geração de cookies, podem ser colocados juntos para realmente identificar um indivíduo. “Sites de redes sociais como Facebook, LinkedIn e MySpace estão dando à nuvem de empresas com fome de monitoramento uma maneira fácil de adicionar o seu nome, listas de amigos, e outras informações aos registros que já mantêm de você”, diz Eckersley.

Dica 3: Se você usa o Firefox, um add-on chamado BetterPrivacy que acaba com os Flash cookies. É gratuito e você pode encontrá-lo aqui.

Dica 4: Escolha uma boa política de cookies para seu navegador, como “mantenha os cookies apenas até eu fechar meu browser”, ou os aprove manualmente.

Dica 5: Use as extensões para Firefox RequestPolicy e NoScript para controlar quando sites de terceiros podem incluir conteúdo em suas páginas ou executar código no seu navegador, respectivamente. Estas ferramentas são muito eficazes, mas esteja ciente, diz Eckersley, que são difíceis de usar: muitos sites que dependem de JavaScript terão de ser colocados como exceção antes que funcionem corretamente.

Dica 6: Use o plugin Targeted Advertising Cookie Opt-Out. Ele automaticamente excluirá você de rastreadores que peçam para aceitar um cookie. Esteja ciente de que nem todos irão oferecer a opção de exclusão (opt out), ou que alguns podem interpretar isso como “não me mostre anúncios segmentados”, em vez de “não espione meu comportamento online”.

Armadilhas de privacidade no Facebook

Um inteligente, e muito paciente repórter do New York Times recentemente descobriu que o Facebook tem mais de 50 botões de privacidade, levando a mais de 170 escolhas. Não posso guiá-lo através desse labirinto, mas há uma série de medidas de senso comum que você pode tomar para minimizar os danos se você não apertar o botão certo.

Dica 7: Nunca aceite um convite de app de alguém que você não conhece. E se o software parecer suspeito, verifique-o usando a busca do Facebook.

Dica 8: Não se esqueça de que, quando alguém tem a sua data de nascimento completa (dia, mês, ano), está a apenas algumas etapas de ter informação suficiente para fazer alguns danos sérios, tais como hackear sua conta bancária. Então, seja inteligente. Não inclua esses dados em seu perfil.

Dica 9: Pela mesma razão, remova seu endereço de casa e número de telefone do seu perfil.

Dica 10: Pode parecer mau, mas classifique as pessoas de acordo com o quão bem você as conhece e confia. Coloque-as em grupos. As que melhor você conhece, mais podem ter acesso aos dados de sua página.

Novos recursos de busca no Firefox

Quem usa sabe como é prática a barra de pesquisas do browser. Basta digitar o termo que se deseja pesquisar, selecionar o mecanismo mais indicado e pressionar Enter. O navegador exibe a página com os resultados para a pesquisa encomendada. Mas você sabe o que fazer para incluir um mecanismo de busca nessa barra? Muitos sites oferecem um plug-in para isso, mas quando não há nada pronto disponível na página que você consulta com frequência a solução é pedir a ajuda do complemento Add To Search Bar para o Firefox.

Com essa extensão instalada, clique com o botão direito do mouse no campo de pesquisa da página selecionada e escolha a opção Adicionar à Barra de Pesquisa no menu que surgirá. Em seguida, aceite o nome indicado ou sugira um outro mais curto e direto, para o mecanismo, escolha um ícone caso a página não forneça nenhum e clique em OK (qualquer imagem pode ser transformada automaticamente em um ícone). Feito isso, o mecanismo está disponível para consulta rápida.

Apesar de bem eficiente, o Add To Search Bar não funciona com todas as páginas de busca. Tentamos sem êxito usá-lo com o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP), por exemplo. Se você quiser ter acesso mais ágil ao recurso oferecido pela Academia Brasileira de Letras para não derrapar no uso da nova ortografia, uma dica é incluir o link para a página na barra de favoritos do browser.

Na página de complementos do Firefox há uma série de add-nos que adicionam recursos de pesquisa ao browser. Para conferir a lista, clique na setinha ao lado da barra de pesquisas do Firefox, selecione a opção Organizar Pesquisas e, na caixa de diálogos seguinte, clique no link Adicionar Pesquisas e faça suas escolhas.

Gmail ganha recurso de drag-and-drop


O Google inseriu um recurso no Gmail que agradará em cheio quem vive anexando arquivos nas mensagens: é o drag-and-drop (em português, arraste-e-solte).

O recurso permite que o usuário pegue um arquivo em qualquer pasta do Windows e o jogue direto para a janela de “escrever e-mail” do Gmail.

Durante o processo, o usuário só deverá ficar esperto para jogar o arquivo exatamente numa caixa verde, que aparece com a mensagem “Solte os arquivos aqui para adicioná-los como anexo”.

O drag-and-drop funciona com apenas um arquivo ou um conjunto deles. O bacana é que o recurso, além de economizar alguns cliques e aposentar a ferramenta “Anexar arquivo”, é compatível com qualquer tipo de dado, como fotos e documentos de textos.

O drag-and-drop está ativado para todos os usuários e não precisa ser configurado. Mas ele tem uma limitação: só funciona no Gmail que é aberto nos navegadores Firefox 3.6 e Google Chrome.

O Firefox vira tradutor de textos

Quer ler sites internacionais mas não sabe nada de inglês? O Google Translate é a melhor ferramenta de tradução, mas para evitar a chateação de ter de copiar a URL ou o texto para acessar o serviço, você pode usar a extensão GTranslate. Basta selecionar o texto desejado e clicar com o botão direito do mouse nele, acessando Translate. Depois de instalar o add-on, acesse Ferramentas > Complementos e pressione Preferências. Troque, então, a língua de tradução para o português.

Quais aplicativos valem a pena ter no iPhone?

Ao comprar um iPhone, após fazer o básico (atualizar agenda, carregar músicas, etc), a primeira grande dúvida da maioria é: quais aplicativos instalar? A biblioteca é enorme e com isso as dicas do iTunes ficam bem genéricas.

Echofon

Quem usa o Firefox pode optar pelo Echofon para ver o Twitter. Free.

eBuddy

Além de MSN, funciona com o Facebook, GTalk e ICQ. Free.

Facebook

Ficou bem adaptado para o iPhone. Free.

Dia & Noite

Aplicativo grátis do Bradesco. Além de acessar a sua conta, mostra as agências que estão ao seu redor e a distância que você tem de andar até elas.

Speed Test

Grátis. Para saber com exatidão a velocidade de sua rede 3G.

Dez dicas que podem deixar sua banda larga mais rápida

Mau posicionamento de roteador sem fio pode fazer com que o acesso à web móvel seja lento

Mesmo com um serviço de banda larga bom, alguns usuários não conseguem navegar rapidamente pela internet. Às vezes pode ser o posicionamento do roteador sem fio, em outras uma configuração, ou até mesmo um programa desatualizado que pode atrapalhar. Com esse intuito, reunimos dez dicas baseadas no Broadbandchoices.co.uk – um site britânico que divulga artigos sobre banda larga – que podem deixar sua banda larga mais rápida, sem precisar colocar a mão no bolso. Se nenhuma das sugestões ajudar, pode ser que sua navegação realmente exija uma conexão mais rápida – nesse caso, é avaliar se não vale pagar um pouco mais pela velocidade:

Teste sua velocidade

Uma das primeiras coisas a serem feitas é saber quanto você recebe de velocidade da empresa que fornece banda larga. Há sites como o Velocímetro e o Teste sua velocidade. O primeiro, mais simples, mostra a simulação de quanto tempo demoraria para baixar programas como o Adobe Reader, o Mozilla Firefox e o WinRAR. Já o segundo, mais completo, mostra a velocidade de download – para baixar arquivos da internet – e upload – para “subir” ou enviar arquivos para a web.

Reposicione seu roteador sem fio

O roteador sem fio – ainda que não atrapalhe diretamente o link de internet – pode fazer com que os usuários móveis tenham uma internet mais lenta. Basicamente, essa lentidão ocorre pela posição do roteador sem fio, que distribui o sinal para os usuários. Para melhorar isso, é recomendável colocar o equipamento em uma região central da casa e, de preferência, em um local elevado. Quartos, paredes e portas fechadas atrapalham a transmissão de sinal de uma rede sem fio.

Coloque senha no roteador para evitar vizinhos “parasitas”

Há pessoas que deixam aberto o sinal do roteador sem fio, para evitar a preocupação com senhas ou tipos de autenticação. A recomendação é colocar uma senha e só distribuir para quem for usar a conexão móvel, pois sem senha a rede fica livre para qualquer um utilizar para o que quiser. Quanto mais pessoas penduradas na conexão, mais lenta ela irá ficar.

Atualize seu navegador

Com a constante atualização de browsers, os desenvolvedores têm incluído cada vez mais mecanismos que deixam a navegação mais rápida. Logo, sempre é bom estar em dia com as atualizações. Além disso, por mais que o Internet Explorer seja um dos navegadores mais utilizados no mundo, há várias outras opções como o Mozilla Firefox, o Google Chrome e o Opera, que funcionam bem em máquinas com configurações mais simples – podendo deixá-las mais rápidas.

Limpe o cache e histórico do navegador

Quando um computador acessa um site, ele armazena os arquivos da página. A utilidade disso é fazer com que o PC, ao acessar novamente o mesmo site, não precise “rebaixar” da internet aquelas informações gravadas. Com o tempo, quanto maior for o cache – arquivos temporários de páginas da internet – mais rápida pode ficar a navegação.

No entanto, o cache pode ficar muito grande e fazer com que o navegador fique lento. Nesse caso é recomendável fazer uma faxina nos arquivos temporários da internet. Os próprios navegadores têm ferramentas para limpar esse tipo de arquivo. Há ainda programas específicos, como o CCleaner.

Monitore suas aplicações
Se você precisa baixar algum arquivo grande, verifique se não há outros programas fazendo download de atualizações. Os programas que mais fazem isso são o Adobe Reader e o Windows Update da Microsoft. Dependendo do número de atualizações e da gravidade, às vezes, vale à pena deixar para fazer atualizações em um horário com menos tráfego na internet ou de inatividade no computador.

Desabilite software P2P

Programas compartilhadores P2P – como o Limewire, Ares ou Shareaza –,quando ativos, baixam (download) e enviam (upload) automaticamente arquivos de/para outros usuários. Se o internauta notar que o acesso a sites comuns está sendo prejudicado, é importante que ele feche esse tipo de programa, pois dependendo da fila de arquivos, a aplicação pode consumir muita banda.

Evite horário de pico

Como quase todo tipo de serviço, a internet também tem horários com maior tráfego, que acabam “congestionando” a rede. Segundo o presidente da Abusar (Associação Brasileira de Usuários de Acesso Rápido), Horácio Belfort, os horários de pico na internet são durante o horário comercial. “Após as 18h – quando boa parte das pessoas já saiu do emprego – inicia-se o que chamamos de horário de internet residencial. Nesse horário há uma diminuição considerável do tráfego”.

Ligue para a empresa que fornece banda larga

Caso o usuário esteja recebendo uma banda muito menor que a contratada – em geral, as empresas, em contrato, só garantem 10% da velocidade – ou tenha dificuldades em acessar sites em específico, a primeira providência é ligar para o provedor do serviço de banda larga contratado e verificar se há algum problema.

Use um servidor DNS

Outra dica interessante – recomendada para usuários avançados – que pode aumentar a velocidade da internet é a configuração de um endereço DNS (Domain Name Service). Esse tipo de servidor, define Belfort, da Abusar, funciona como uma espécie de “lista telefônica de sites”, que faz com que o acesso à internet fique mais rápido.

Antes de configurar um endereço de servidor DNS, é preciso ter um endereço IP do DNS de um provedor. O UOL, por exemplo, tem os endereços 200.221.11.101 (primário) e 200.221.11.102 (secundário). Basta ir nas configurações de rede do sistema operacional e digitar esses números. Há ainda endereços de DNS públicos, como o do Google Public DNS. Essa dica, como já dito, não é para usuários com conhecimentos básicos em tecnologia.