Quantos programadores são necessários para trocar uma lâmpada?

Resposta curta: Nenhum, trocar lampadas é um problema de hardware.

Resposta longa

Programadores da Microsoft:
Nenhum. Se a lâmpada estiver queimada, a microsoft vai declarar isso um novo padrão.

Programadores do Google:
Nenhum, porque acreditam que lâmpada é coisa do passado. E desenvolvem o GSunLight.

Programadores C:
6. 1 para trocá-la e 5 para mais tarde entenderem como ele fez isso.

Programadores Java:
1 para fazer o levantamento de requisitos, 1 para fazer os diagramas, 1 para instalar o TomCat, 1 para definir as classes, 1 para analisar as classes criadas, 1 para declarar os objetos, 1 para documentar o sistema, 1 para inserir a lâmpada na máquina virtual.

Programadores Clipper:
Só um, mas ninguém o encontra.

Programadores Python:
Já trocou?

Programadores PHP:
Só um, desde que haja alguém para desenhar o layout da lâmpada.

Programadores Delphi:
Estão procurando os módulos de troca de lâmpada nos fórums.

Programadores Whitespace:
”  ”

Programadores Ruby
Só um, e garante que só ele sabe fazer isso da melhor forma.

Fonte: Andre Noel
Anúncios

Google comemora 30 anos do game ‘Pac-Man’ com logo interativo

Para comemorar os 30 anos do game “Pac-Man”, o Google criou um Doodle – logotipo modificado da empresa, usado em ocasiões especiais – interativo, que ficará 48 horas no ar. A partir das 12h desta sexta-feira (21/05/2010), internautas que acessarem a página inicial de busca do Google terão acesso a um jogo criado especialmente para a data. O game “Pac-Man” foi lançado no dia 22 de maio de 1980, no Japão.

Para jogá-lo, basta acessar a página, clicar sobre o botão “Insert coin” (inserir ficha) – que substituirá o botão “Estou com sorte” – e esperar cerca de 10 segundos para que o game seja iniciado. Os controles de movimento são basicamente as setas direcionais do teclado.

Os usuários terão até 48 horas para tentar vencer os 255 níveis de dificuldade e “zerar” o game. Segundo a companhia, é a primeira vez que um Doodle terá mais de 24 horas de exposição.

De acordo com o Google, a equipe de designers trabalhou para “reproduzir com fidelidade a importância do jogo”, um sucesso da década de 80. Para isso, o Doodle foi equipado com características únicas, incluindo a recriação de bugs de programação presentes na versão original.

Vídeo do Google dá dicas de privacidade no uso do Buzz

Preocupado que é com a privacidade dos usuários e com as atrocidades que cercam os jovens na internet, o Google lançou um vídeo com dicas de comportamento para a molecada no Google Buzz, seu serviço de compartilhamento de fotos, vídeos e outras coisas incríveis. O vídeo de dois minutos traz conselhos como “tenha cuidado com quem você decide compartilhar informações” e até ensina a desligar o Buzz. Ele lembra que, assim como em todos os serviços do Google, você precisa ter mais de 13 anos para se cadastrar.

O detalhe é que essa “preocupação” do Google surge dois meses depois do lançamento do Buzz. Nesse tempo você já fez amizades sem saber, “tuitou” fotos antigas do Flickr e entrou em parafuso com os compartilhamentos descontrolados. Quem mandou não esperar dois meses?

Esse vídeo faz parte da cruzada pela privacidade iniciada pelo Google nesta semana. Todos os usuários do Buzz receberam uma mensagem para rever suas configurações de privacidade, alterando os ajustes ou confirmando que “está tudo bem, não se preocupem”.

Fonte: Google

Teste seus conhecimentos sobre games em um quiz interativo

São 56 games famosos escondidos em uma paisagem urbana no estilo “pixel art”. De clássicos antigos, como Double Dragon e R-Type, até produções mais recentes, como Call of Duty e Guitar Hero, as referências estão por toda parte nesse desafio do Arcade Aid. Um minimapa no canto esquerdo da tela mostra os pontos de interesse no cenário, e é possível se cadastrar no site para retornar mais tarde sem precisar recomeçar do zero.

Apesar de algumas interpretações extremamente literais (Punch Out, Golden Axe, achou?), o quiz é uma boa chance de relembrar jogos que estavam perdidos na memória.