Descubra quando um contato abrir sua janela no MSN

O Messenger Discovery Live é um ótimo complemento para os usuários do mensageiro instantâneo da Microsoft, o Windows Live Messenger. O aplicativo adiciona vários recursos ao MSN e possibilita que as pessoas façam e descubram coisas que sempre tiveram vontade, mas que não são possíveis de ser realizadas no programa orignal.

Com esta dica, você poderá ser avisado sempre que um contato abrir uma janela de conversação com você, mesmo que ele não envie nenhuma mensagem. Com isso, além de poder surpreender seus amigos, enviando uma mensagem antes deles, você também poderá saber quando uma pessoa pensou em falar com você e desisitiu, o que provavelmente significa alguma coisa.

Passo 1. Feche completamente o MSN Messenger, inclusive da barra de tarefas.

Passo 2. Faça o download do Messenger Discovery Live e instale o programa no seu computador.

Passo 3. Abra o Windows Live Messenger e faça o login com as informações da sua conta.

Passo 4. Na página principal do MSN, clique no ícone do Messenger Discovery (um balão colorido), no canto inferior direito da janela, e selecione a opção “Configurações”.

Passo 5. Na coluna de menus da esquerda, clique na opção “Alertas” e, ao lado direito, marque a caixa correspondente a “Uma janela de conversação for aberta”.

Passo 6. Em seguida, clique em “OK” para salvar a alteração e continuar o MSN.

Após esses passos, você passará a ser avisado quando um contato da sua alista abrir a sua janela de conversação no MSN.  Use essa vantagem a seu favor da maneira que achar mais conveniente e surpreenda seus amigos. O programa possui muitos outros recursos interessantes e, graças à sua interface simples, é possível compreendê-los sem muito esforço.

Anúncios

Use o Google Docs de maneira eficiente em sua empresa

Praticamente todas as empresas precisam de serviços básicos, tais como provedores de e-mail e de caixas de entrada, compartilhamento de arquivos e de editores de textos. O jeito que esses serviços são implementados variam dramaticamente. Escolha errado o provedor desses serviços, aproveite e incendeie dinheiro e desperdice tempo.

Há como contornar a necessidade de boa parte dessas despesas usando o Google Apps for Businesses, um serviço diretamente do ambiente das nuvens que pode acelerar o ritmo na empresa, pois tudo que precisa é acessível a partir de dispositivos móveis.

Existem algumas diferenças entre as soluções oferecidas pelo Google e aquelas no portfólio de outras companhias. Neste artigo vamos revelar algumas dicas de como tirar proveito de maneira otimizada dos serviços disponíveis na plataforma Google Apps for Businesses.

Google Apps Collaboration Tools

Adicionalmente à gestão dos e-mails, o Google Apps auxilia as pessoas de uma mesma empresa na construção de arquivos e geração de conteúdo. Apesar de todo o conteúdo estar armazenado na nuvem, o Google mantém a segurança dos arquivos bastante robusta.

A agenda oferecida pelo Google Calendar é útil quando se trata de repartir compromissos com mais participantes. A versão disponível para empresas é semelhante ao serviço gratuito, mas tem itens voltados para funcionários. Uma das opções oferecidas é compartilhar a agenda do dia, para informar aos outros participantes a que horas você estaria disponível para uma reunião. O Calendar envia convites para reuniões e se atualiza à medida que outras pessoas confirmam a presença no evento.

O Google Docs edita, de maneira elementar, arquivos criados em suítes de edição de textos, como Word (.doc), PowerPoint (.ppt) e Excel (.xls). O conteúdo desses arquivos pode ser editado por várias pessoas ao mesmo tempo e permite que cada usuário faça as alterações sem sobrescrever mudanças efetuadas por outros usuários (o que poderia ocorrer se a cada alteração os usuários baixassem e subissem os arquivos). O recurso pode ser usado como mural de avisos em empresas; nele podem ser exibidas políticas da companhia e ser anunciados eventos da empresa. Também existe a opção de salvar documentos e arquivos de todo tipo em uma pasta virtual no Google Docs.

Na versão Premier Edition, o Google Groups age como central colaborativa entre grupos. Ele permite o envio de conteúdo para determinados agrupamentos de usuários, uma opção para informar ao departamento de vendas sobre oportunidades de fechar negócios, sem informar ao pessoal da manutenção o mesmo recado. Cada vez que um novo integrante entra para determinado grupo, ele tem acesso ao histórico e pode visualizar o que aconteceu antes de se unir ao grupo.

Outro serviço disponível apenas na versão Premier é o Google Video. Equivale a uma versão privada do YouTube para a empresa. Serve para publicar vídeos para fins de treinamento ou outras finalidades dentro de um círculo fechado de usuários. Também é possível hospedar vídeos públicos, o que elimina a necessidade de assinar outros serviços ou listas.

O Gmail no ambiente corporativo

A principal vantagem entre as versões gratuitas do Google e das suítes pagas, é perceptível no serviço de e-mail, o Gmail. Em vez de ter sua conta associada ao domínio Gmail e o endereço ser seunome@gmail.com, você pode dispor de um domínio personalizado, o que faz uma diferença enorme na divulgação de sua marca. O Google oferece a opção de registro de domínio ao custo de 10 dólares anuais e o configura automaticamente.

Talvez os 7,4 GB de espaço para aguardar arquivos seja suficiente para pequenas e médias empresas. Disponível sem custo e configurável para até 50 contas de email distintas, cada conta de e-mail pode enviar mensagens para 500 endereços diferentes por dia. A não ser que sua empresa mantenha uma base de contatos muito ampla, estes limites devem suprir a necessidade que tem em serviços dessa natureza. Ocorre que, da mesma forma que acontece na versão pública, a interface desses serviços inclui publicidade, mais um motivo para fazer um upgrade na conta do Google Docs e optar pela versão paga. Nela, você poderá eliminar a opção de exibição de publicidade. Basta fazer login como administrador da conta, escolher a opção de gerenciar o domínio, localizado no topo da página e desabilitar a exibição de publicidade em seu domínio. Salve as alterações e saia da interface. Sim, era de se esperar que os pagantes do serviços não tivessem de realizar essa modificação.

O custo da versão Premier é de 50 dólares por ano e por usuário. Nessa modalidade, cada usuário pode enviar até 2 mil e-mails por dia para endereços diferentes e o espaço de armazenamento aumenta para 25 GB.

Siga as dicas de negócios

O que será que aconteceu com aquele e-mail superimportante que você enviou, mas errou o recipiente ao digitar o endereço do mesmo? Para dar conta dessa fatalidade, você pode criar apelidos para contatos de e-mail com endereços complicados. Faz assim: entra no sistema de gerenciamento da conta de e-mail e clique em “e-mail”. Encontre o nome do destinatário na relação de contatos e edite as informações. Você poderá criar um apelido para o contato, algo que seja difícil de digitar de forma errada.

Outras mensagens enviadas com endereços digitados de maneira errada devem ir parar na pasta de lixo eletrônico, mas mesmo aí, você pode fazer alterações. Acesse as configurações do serviço e selecione a opção de e-mail. Desça até a seção de e-mail routing e marque a opção de “Route” para capturar todos os endereços, insira o seu nome, salve as alterações e pronto.

Com base no Google Groups é possível gerir a comunicação interna, mas ele também pode ser usado para receber mensagens de qualquer outro remetente. Dessa maneira, você pode manter uma caixa com o nome vendas@seusite.com.br, que irá encaminhar todas as mensagens que receber para outra lista ou grupo definidos. Para tal, basta clicar na opção de Grupos e criar um novo conjunto de destinatários.

Por padrão, apenas os participantes de cada grupo podem enviar mensagens. Mas isso pode ser alterado: basta selecionar a opção “Permitir que todos enviem mensagens”. De agora em diante, um cliente poderá contatar toda a equipe de vendas a partir de um único e-mail.

Crie avisos personalizados de eventos no Google Calendar

Existe uma grande variedade de maneiras pelas quais o Google Calendar pode lembrar você de determinados compromissos. Os avisos podem chegar até você via e-mail, por meio de pop-ups ou via SMS diretamente até o seu celular (e não precisa ser um smartphone de última geração). Veja como configurar essas opções que devem lembrá-lo dos compromissos ou te dar aquele toque, 5 minutos antes da reunião começar.

De dentro do painel de controle do Google Apps – não estamos falando do painel de administrador – abra a opção do calendário. Selecione as configurações e os alertas. Você poderá clicar em adicionar um alerta para alterar os tipos de notificação. Procure configurar o primeiro de forma a mandar uma mensagem de email um dia antes do evento. Se quiser, poderá configurar mais outros dois avisos para serem encaminhados ao seu celular poucos minutos antes (pode ser necessário configurar seu aparelho celular para receber essas mensagens), salve as alterações antes de sair.

Mais opções de aplicativos

A união entre o calendário e os aplicativos do Google, como o Docs, formam uma base sobre a qual a comunicação dentro da empresa funciona. Mas existe uma infinidade de aplicativos adicionais desenvolvidos por terceiros e que podem interagir com sua base de clientes, com o calendário e com outros dados. Entre esses aplicativos encontram-se  ferramentas de CRM, monitores de tempo de resposta e outros recursos.

Uma boa opção para encontrar tais soluções é o Google Apps Marketplace. Lá estão exibidos os programas gratuitos e os pagos para integração no Google Docs. Ao ativar a opção de integração do programa escolhido, ele automaticamente é distribuído para todos os usuários ligados, diferente do software tradicional, em que é necessária uma instalação isolada para cada usuário.

Google Voice (ainda não disponível para o Brasil)

Esse serviço permite que as pessoas deixem recados em sua caixa de entrada esteja você onde estiver. Uma extensão desse serviços cria um número telefônico exclusivo para você, que faz soar todos os seus números informados.

É muito importante estar ao alcance das pessoas enquanto você está trabalhando. Ao mesmo tempo é chato receber chamadas de estranhos enquanto está ocupado. Uma solução seria desabilitar o encaminhamento de chamadas para determinado celular, mas isso impediria o recebimento inclusive de chamadas que você deseja receber. Uma opção é configurar um aparelho para cada tipo de chamada, sempre de acordo com o número de quem está ligando.

De agora em diante, quando amigos, parentes ou contatos comerciais ligarem para você, serão encaminhados para linhas distintas e você terá melhor e maior controle sobre com quem deseja falar e os contatos indesejados podem ligar para o seu telefone comercial, mas não irão incomodar o seu sono enquanto você está em casa.

Skype Online deixará de ser oferecido no Brasil

De acordo com o Skype, oserviço SkypeIn, conhecido como Online Number, deixará de ser oferecido no Brasil.

Através dele, usuários do Skype podem criar um número de telefone virtual para que chamadas nacionais sejam redirecionadas para o programa.

No Brasil, esse serviço é ofertado pela Transit Telecom, empresa de soluções VoIP e banda larga, mas ela decidiu parar de oferecê-lo. Logo, o Skype foi obrigado a encerrá-lo.

Segundo o comunicado enviado por e-mail aos usuários, pelo fato de a regulamentação brasileira não permitir que empresas estrangeiras ofereçam esse tipo de serviço sem um parceiro local, o Skype não poderá mais oferecer os números online.

“Pedimos desculpas pelo inconveniente que a decisão da Transit Telecom possa lhe causar, mas esta é uma questão que está fora do nosso controle. De acordo com os Termos de Serviço da Transit Telecom, você pode esperar que seu Número Online continue em operação até que a sua assinatura atual vença. No entanto, depois que a sua assinatura vencer, você infelizmente não poderá renová-la”, informou o comunicado.

A Transit Telecom não informou as razões que a levaram a essa decisão. O Skype também não disse se pretende dar continuidade ao serviço através de outro parceiro.

Usuários do serviço que quiserem mais informações podem entrar em contato com o  Atendimento ao Cliente da Transit Telecom pelo e-mail “contato@transitbrasil.com.br” ou pelos telefones de suporte 103 17 ou (11) 3511-0200 begin_of_the_skype_highlighting            (11) 3511-0200      end_of_the_skype_highlighting.

Fora do ar no mundo inteiro, Skype deixa milhões de usuários sem conexão

Um dos serviços mais populares de voz sobre IP e chat, o Skype está fora do ar para milhões de usuários ao longo do dia. No Twitter, centenas de mensagens são enviadas a cada minuto por pessoas que não conseguem se conectar à plataforma. Aparentemente, o problema afeta todas as plataformas, seja PC ou smartphone.

O site americano ReadWriteWeb publicou que o número de usuários online no serviço caiu de 21 milhões no início da manhã para 10 milhões no início da tarde. Peter Parkes, Relações Públicas da empresa, também afirmou ao site que o problema está ao se logar no serviço. “Uma vez conectado, todos os serviços funcionam perfeitamente”.

O Skype funciona a partir de milhões de conexões individuais entre computadores e telefones. Alguns desses computadores são chamados “supernodes” – que funcionam como uma agenda telefônica para o Skype. Quando você quer falar com alguém e seu aplicativo do Skype não consegue encontrar essa pessoa imediatamente (porque ela está conectada de um outro lugar ou por um device diferente), o seu computador vai se conectar, primeiro, a algum “supernode” para “perguntar” como acessar aquele contato.

O que aconteceu hoje é que muitos desses “supernodes” ficaram offline. De acordo com um comunicado do Skype, os engenheiros da empresa já estão criando novos “mega-supernodes” para fazer com que o serviço volte, gradualmente, ao normal.

Microsoft anuncia nova versão do Windows Live Hotmail

A Microsoft apresentou à imprensa no mês de maio, uma prévia da nova versão de seu serviço de webmail, o Windows Live Hotmail. O principal foco desta versão é em ferramentas que ajudem o usuário a manter sua caixa de entrada organizada e a lidar com o enorme fluxo de informação do dia-a-dia, bem como recursos que permitem ao usuário interagir com conteúdo, como vídeos, fotos e links para redes sociais, sem que tenha de deixar a caixa postal, o que economiza tempo.

Organização facilitada

Um dos novos recursos para organização é a “vassoura virtual” (sweep), que facilita a remoção de mensagens indesejadas da caixa de entrada. Além disso, um sistema de filtragem das mensagens com um único clique permite exibir apenas as mensagens de seus contatos e redes sociais, ou todas as mensagens com anexos de determinado tipo, como fotos.

Também há um sistema de busca avançada, integrada ao buscador Bing, da Microsoft, e a possibilidade de organizar as mensagens por conversa. Este recurso já é conhecido dos usuários do Gmail, mas no Hotmail é opcional, embora esteja habilitado por padrão.

Compartilhamento

A Microsoft aumentou os limites para o envio de arquivos anexos. Agora é possível incluir até 200 arquivos por mensagem, com 50 MB por arquivo, num total de 10 GB. Mas algumas novas ferramentas eliminam a necessidade de anexos: ao incluir fotos, por exemplo, elas podem ser enviadas para um álbum criado automaticamente no serviço SkyDrive, também da Microsoft. O destinatário recebe um link para a galeria, com direito a uma “folha de rosto” com amostras das imagens.

O Photomail permite enviar galerias de imagens sem que o destinatário tenha de lidar com dezenas de anexos

O mesmo pode ser feito com documentos do Microsoft Office, que podem ser compartilhados a partir de um SkyDrive, em vez de remetidos diretamente ao destinatário como anexos. Uma vantagem deste processo é que, se o remetente modificar o documento, o destinatário verá automaticamente a versão mais atualizada.

Vídeos do YouTube e imagens em anexo também se beneficiam do recurso de “visualização ativa”, ou seja, é possível ver o conteúdo em uma janela “pop-up” sem sair da caixa de entrada. Também é possível visualizar e editar documentos do Office dentro do próprio navegador, usando as novas Microsoft Office Web Apps. A Microsoft está lançando uma API (interface de programação) para que desenvolvedores web possam integrar este recurso a seus sites e serviços online.

Também há a integração com serviços online, como a possibilidade de colocar comentários no Facebook ou mudar seu status no Windows Live Messenger diretamente a partir da caixa de entrada, além de uma lista de contatos unificada, que mostra não só seus contatos do Hotmail, como os vindos de serviços como o Facebook, LinkedIn e MySpace. Outro recurso interessante é um cliente do Windows Live Messenger integrado ao Hotmail.

Mais segurança

Tecnologias como o filtro anti-spam SmartScreen ajudam a filtrar spam e malware. Outro recurso, chamado “remententes confiáveis”, indica visualmente as mensagens que vieram de remententes reconhecidos como legítimos, o que evita o risco do usuário cair em ataques de phishing. Outros recursos como o uso de criptografia (SSL) durante toda a sessão e senhas de uso único, que podem ser enviadas para o usuário que deseja acessar seu hotmail em um computador compartilhado sem expor sua senha real, ajudam a manter suas informações longe dos olhos de malfeitores.

Acesso móvel

Usuários de smartphones podem usar o novo Hotmail Mobile, que tem recursos como filtros, mensagens organizadas por conversas, pastas e mensagens offline. Também há um calendário e suporte a Exchange ActiveSync, que permite o uso de e-mail “push” em smartphones: qualquer smartphone compatível com este recurso (inclusive iPhones e aparelhos baseados no sistema operacional Android) poderá acessar mensagens e calendários, sem necessidade de software especial.

E quando chega?

Segundo Brian Hall, Gerente Geral do Windows Live and Internet Explorer Business Group na Microsoft, o novo Windows Live Hotmail foi disponibilizado em junho deste ano. A migração dos usuários está sendo gradual e direta, sem o sistema de “convites” como no Orkut. Já a integração com o Microsoft Office Web Apps acontece um pouco mais tarde “ao longo do ano”.

Apesar dos esforços da Microsoft e de outros provedores de serviços para incentivar os usuários a aposentar o Internet Explorer 6, a nova versão do Hotmail ainda será compatível com o navegador, lançado há quase uma década.

Os 14 anos de trajetória do milionário ICQ

Primeiro vinha um estrondoso barulho de navio. Depois, a cada mensagem, era a vez de um ser robótico com voz infantil gritar algo como “ó-ou!” pelas caixas de som da maioria dos computadores ligados no fim da década de 90.

A sinfonia do mensageiro instantâneo ICQ marcou toda uma geração que sofria, geralmente pelas madrugadas (quando as tarifas eram mais baratas), para se conectar via dial-up e trocar mensagens, correntes, URLs, listas e fotos com seus contatos.

Depois da febre, no entanto, com a tática agressiva de marketing da Microsoft para promover o MSN Messenger e a lenta evolução do ICQ, poucos brasileiros e americanos continuaram a usar o serviço. Para muitos, a ferramenta morria já nos anos 2000, acompanhando Netscape, Napster e outras populares aplicações de web extintas na época.

Mas a verdade é que, mesmo sem crescer como antes, o ICQ nunca foi abandonado por russos, israelenses e alemães. A prova vem de números atualizados da comScore, que mostram, ainda hoje, 32 milhões de visitantes únicos nas páginas do serviço durante o mês de março e muita popularidade entre usuários europeus de 13 a 29 anos.

Pois tanta audiência qualificada somada às modernizações trouxeram, em 2010, muitos interessados na compra do serviço, como o grupo sul-africano Naspers e várias corporações do Leste Europeu.

Enfim, o ICQ anunciou que foi comprado por uma grande empresa russa, a Digital Sky Technologies Limited (DST), pelo valor de US$187,5 milhões, colocando grandes dúvidas sobre o que acontecerá com o serviço de mensagens instantâneas daqui para frente.

Como não é possível prever o futuro, vamos relembrar o passado do ICQ em ordem cronológica e, com isso, esclarecer por onde andou aquela inconfundível flor de sete pétalas verdes e uma vermelha por todo esse tempo distante da internet brasileira. Quem sabe assim, pelo histórico, consigamos analisar qual poderá ser o destino do mensageiro instantâneo.

A história do ICQ ano a ano:

1995/1996 – Entediados com os bate-papos pelo sistema operacional Unix, quatro jovens programadores israelenses, Yair Goldfinger, Sefi Vigiser, Amnon Amir e Arik Vardi decidiram se juntar para criar um novo serviço de comunicação online que fosse mais simples e popular (leia-se: voltado não só para desenvolvedores e compatível com Windows). Começava, no quarto de cada um deles, o embrião do serviço.

1996 – O quarteto e o pai de Arik Vardi fundam a empresa Mirabillis para tocar o projeto. As primeiras versões do ICQ – um trocadilho para “I Seek You” – são lançadas para uso restrito, gratuitamente.

1997 – São lançadas versões em fase beta do ICQ, compatíveis apenas com Windows. A velocidade da troca de mensagens e as listas de contatos agradam o público e chamam a atenção de investidores e empresas americanas.

1998 – Com o enorme sucesso da ferramenta na Europa e nos Estados Unidos, a AOL compra a Mirabillis em junho pelo valor de 407 milhões de dólares, o maior valor pago a uma empresa israelense em toda a história.

1999 – Febre mundial, o ICQ começa a despertar um sentimento de rivalidade em outras empresas, que decidem explorar o mesmo lucrativo mercado. A Microsoft lança, em junho de 1999, a primeira versão do MSN Messenger. O produto, porém, não decolaria. Ainda.

2000 – Depois de comprar a Time Warner, a AOL engloba seu próprio mensageiro instantâneo (AIM) ao ICQ, fazendo com que os usuários possam adicionar e compartilhar recursos entre as duas plataformas. A divisão de atenções no mesmo setor, contudo, causou um ritmo muito lento de inovações. Seria o último ano de grande prosperidade para o serviço.

2001 – A Microsoft inicia uma agressiva tática de marketing para promover o Messenger pelo mundo. O ocidente, aos poucos, vai se rendendo ao formato mais leve e “clean” da empresa de Bill Gates. No segundo semestre, grande parte dos usuários já havia abandonado o serviço criado pelos israelenses.

2002 – Mesmo sendo algo próximo a um deserto nas Américas, o ICQ ainda vivia bem na parte oriental e em alguns países da Europa ocidental, como a Alemanha. A queda rápida e inesperada do serviço, no entanto, começava a causar crises na AOL.

2003 – Os negócios do ICQ trocam de comando e as operações passam a ser voltadas para mercados específicos. O novo CEO, Orey Gilliam, inicia um período de reerguida do software.

2004 – ICQ retoma seu crescimento e, focado em países como Ucrânia, Rússia e Israel, torna-se, nos meses seguintes, um dos setores mais lucrativos da AOL.

2005 – Com sangue novo, o ICQ atrai muitas parcerias com sites (de busca, inclusive), emissoras de TV e grandes marcas.

2006/ 2008 – Ainda sem conseguir a expansão do seu mercado para outros países, o ICQ inova suas estruturas com Voip, SMS, sistemas de busca, perfis detalhados de usuários e galerias de imagens e emoticons.

2009 – AOL e Time Warner se separam e deixam o ICQ como um filho abandonado. Sem muita escolha, o comando é trocado: Gilliam dá lugar a Eliav Moshe, que se torna o diretor de operações do serviço.

2010 – Depois de lançar sua nova versão em 16 línguas e ser sondado pela empresa sul-africana Naspers, o ICQ é comprado por 187,5 milhões de dólares pela gigante russa Digital Sky Technologies (ou apenas DST) – menos da metade do valor que a AOL pagou pela Mirabillis. Hoje, de acordo com a comScore, o serviço possui 32 milhões de visitantes únicos todo mês e cerca de 80% dos seus usuários têm entre 13 e 29 anos – na grande maioria, moradores de países como Rússia, Alemanha, República Tcheca e Israel.

2011 – (Digite sua mensagem aqui).

ICQ: Veja o histórico do programa de mensagens instantâneas

O ICQ, serviço de mensagens instantâneas, foi vendido dia 28 de abril, por US$187,5 milhões à Digital Sky Technologies Limited (DST) – empresa russa que também possui ações do Zynga, Facebook e GroupOn.

Criado em 1996 pela Mirabilis, o ICQ já tinha sido vendido para AOL Time Warner em 1998, por cerca US$ 407 milhões na época. O programa fez enorme sucesso no Brasil durante o final da década de 90 e até metade dos anos 2000, quando o MSN tomou conta do mercado de messengers no país.

Os usuários de Internet que viveram esse período lembram, com nostalgia, do tempo em que a comunicação era feita através do ICQ. Apesar de a versão 7 do comunicador instantâneo trazer muitas novidades, como um novo visual e integração com redes sociais, ela não emplacou novamente no Brasil, já que o Windows Live Messenger ainda é absoluto na preferência dos usuários.

Esse cenário contrasta com a Rússia. Lá, o ICQ ainda continua rei entre os usuários. De acordo com a empresa de pesquisa comScore, das 33 milhões de pessoas que utilizam o ICQ, 8,5 milhões são russas. Não é a toa, então, que o serviço foi comprado por uma companhia daquele país.

A queda do império

1995 – Os israelenses Yair Goldfinger, Sefi Vigiser, Amnon Amir e Arik Vardi unem-se para criar um programa de comunicação online em tempo real que fosse fácil de usar.

1996 – Os quatro fundam a Mirabilis e distribuem o ICQ para uso restrito. A sigla é um trocadilho para “I Seek You” (“Eu Procuro Você”, em português).

1997 – A versão beta é lançada para a plataforma Windows. A velocidade das mensagens e a lista de contatos surpreende os usuários.

1998 – O ICQ faz muito sucesso e é vendido para a AOL por US$ 407 milhões. O valor é o mais alto pago à uma empresa de Israel na história.

1999 – Provavelmente, a melhor época do ICQ. Empresas que ainda não tinham despertado para o mercado de comunicação instantânea começam a se mexer. Em julho é lançada a primeira versão do MSN Messenger pela Microsoft.

2000 – A AOL engloba o seu mensageiro instantâneo, o AIM, ao ICQ. Seus usuários podem, agora, compartilhar os recursos dos dois programas. Por causa disso, o ICQ foi deixado um pouco de lado, abrindo o terreno para a concorrência.

2001 – A Microsoft começa a promover o MSN. Gradativamente, o comunicador da Microsoft ganha terreno no mundo. No Brasil, entretanto, o ICQ, ainda é unanimidade.

2002 – Começa a cair o império do ICQ nas Américas. No Oriente e em alguns países da Europa ocidental, o programa ainda possui uma boa aceitação e é muito utilizado. Algumas crises surgem na AOL.

2003 – É trocado o comando do ICQ, que passa a ser voltado a mercados mais específicos. Orey Gillian, o novo CEO, tenta iniciar uma nova era do programa. No Brasil, porém, o aplicativo tem seu último suspiro.

2004 – O ICQ cresce novamente no Leste Europeu, em países como Rússia e Ucrânia, tornando-se novamente uma das áreas mais lucrativas da AOL.

2005 – O ICQ fecha parcerias com diversos sites e emissoras de televisão.

2006 a 2008 – O programa inova em diversos sentidos. Cria suporte à VOIP e SMS, emoticons (como no MSN), galeria de fotos e muito mais.

2009 – AOL e Timer Warner rompem e o ICQ é deixado de lado. Eliav Moshe, torna-se o CEO.

2010 – É lançada a sétima versão do ICQ, com suporte a 16 línguas e a redes sociais. Em abril, o ICQ é vendido por US$ 187,5 milhões para a empresa russa Digital Sky Technologies.