Descubra quando um contato abrir sua janela no MSN

O Messenger Discovery Live é um ótimo complemento para os usuários do mensageiro instantâneo da Microsoft, o Windows Live Messenger. O aplicativo adiciona vários recursos ao MSN e possibilita que as pessoas façam e descubram coisas que sempre tiveram vontade, mas que não são possíveis de ser realizadas no programa orignal.

Com esta dica, você poderá ser avisado sempre que um contato abrir uma janela de conversação com você, mesmo que ele não envie nenhuma mensagem. Com isso, além de poder surpreender seus amigos, enviando uma mensagem antes deles, você também poderá saber quando uma pessoa pensou em falar com você e desisitiu, o que provavelmente significa alguma coisa.

Passo 1. Feche completamente o MSN Messenger, inclusive da barra de tarefas.

Passo 2. Faça o download do Messenger Discovery Live e instale o programa no seu computador.

Passo 3. Abra o Windows Live Messenger e faça o login com as informações da sua conta.

Passo 4. Na página principal do MSN, clique no ícone do Messenger Discovery (um balão colorido), no canto inferior direito da janela, e selecione a opção “Configurações”.

Passo 5. Na coluna de menus da esquerda, clique na opção “Alertas” e, ao lado direito, marque a caixa correspondente a “Uma janela de conversação for aberta”.

Passo 6. Em seguida, clique em “OK” para salvar a alteração e continuar o MSN.

Após esses passos, você passará a ser avisado quando um contato da sua alista abrir a sua janela de conversação no MSN.  Use essa vantagem a seu favor da maneira que achar mais conveniente e surpreenda seus amigos. O programa possui muitos outros recursos interessantes e, graças à sua interface simples, é possível compreendê-los sem muito esforço.

Anúncios

Os 14 anos de trajetória do milionário ICQ

Primeiro vinha um estrondoso barulho de navio. Depois, a cada mensagem, era a vez de um ser robótico com voz infantil gritar algo como “ó-ou!” pelas caixas de som da maioria dos computadores ligados no fim da década de 90.

A sinfonia do mensageiro instantâneo ICQ marcou toda uma geração que sofria, geralmente pelas madrugadas (quando as tarifas eram mais baratas), para se conectar via dial-up e trocar mensagens, correntes, URLs, listas e fotos com seus contatos.

Depois da febre, no entanto, com a tática agressiva de marketing da Microsoft para promover o MSN Messenger e a lenta evolução do ICQ, poucos brasileiros e americanos continuaram a usar o serviço. Para muitos, a ferramenta morria já nos anos 2000, acompanhando Netscape, Napster e outras populares aplicações de web extintas na época.

Mas a verdade é que, mesmo sem crescer como antes, o ICQ nunca foi abandonado por russos, israelenses e alemães. A prova vem de números atualizados da comScore, que mostram, ainda hoje, 32 milhões de visitantes únicos nas páginas do serviço durante o mês de março e muita popularidade entre usuários europeus de 13 a 29 anos.

Pois tanta audiência qualificada somada às modernizações trouxeram, em 2010, muitos interessados na compra do serviço, como o grupo sul-africano Naspers e várias corporações do Leste Europeu.

Enfim, o ICQ anunciou que foi comprado por uma grande empresa russa, a Digital Sky Technologies Limited (DST), pelo valor de US$187,5 milhões, colocando grandes dúvidas sobre o que acontecerá com o serviço de mensagens instantâneas daqui para frente.

Como não é possível prever o futuro, vamos relembrar o passado do ICQ em ordem cronológica e, com isso, esclarecer por onde andou aquela inconfundível flor de sete pétalas verdes e uma vermelha por todo esse tempo distante da internet brasileira. Quem sabe assim, pelo histórico, consigamos analisar qual poderá ser o destino do mensageiro instantâneo.

A história do ICQ ano a ano:

1995/1996 – Entediados com os bate-papos pelo sistema operacional Unix, quatro jovens programadores israelenses, Yair Goldfinger, Sefi Vigiser, Amnon Amir e Arik Vardi decidiram se juntar para criar um novo serviço de comunicação online que fosse mais simples e popular (leia-se: voltado não só para desenvolvedores e compatível com Windows). Começava, no quarto de cada um deles, o embrião do serviço.

1996 – O quarteto e o pai de Arik Vardi fundam a empresa Mirabillis para tocar o projeto. As primeiras versões do ICQ – um trocadilho para “I Seek You” – são lançadas para uso restrito, gratuitamente.

1997 – São lançadas versões em fase beta do ICQ, compatíveis apenas com Windows. A velocidade da troca de mensagens e as listas de contatos agradam o público e chamam a atenção de investidores e empresas americanas.

1998 – Com o enorme sucesso da ferramenta na Europa e nos Estados Unidos, a AOL compra a Mirabillis em junho pelo valor de 407 milhões de dólares, o maior valor pago a uma empresa israelense em toda a história.

1999 – Febre mundial, o ICQ começa a despertar um sentimento de rivalidade em outras empresas, que decidem explorar o mesmo lucrativo mercado. A Microsoft lança, em junho de 1999, a primeira versão do MSN Messenger. O produto, porém, não decolaria. Ainda.

2000 – Depois de comprar a Time Warner, a AOL engloba seu próprio mensageiro instantâneo (AIM) ao ICQ, fazendo com que os usuários possam adicionar e compartilhar recursos entre as duas plataformas. A divisão de atenções no mesmo setor, contudo, causou um ritmo muito lento de inovações. Seria o último ano de grande prosperidade para o serviço.

2001 – A Microsoft inicia uma agressiva tática de marketing para promover o Messenger pelo mundo. O ocidente, aos poucos, vai se rendendo ao formato mais leve e “clean” da empresa de Bill Gates. No segundo semestre, grande parte dos usuários já havia abandonado o serviço criado pelos israelenses.

2002 – Mesmo sendo algo próximo a um deserto nas Américas, o ICQ ainda vivia bem na parte oriental e em alguns países da Europa ocidental, como a Alemanha. A queda rápida e inesperada do serviço, no entanto, começava a causar crises na AOL.

2003 – Os negócios do ICQ trocam de comando e as operações passam a ser voltadas para mercados específicos. O novo CEO, Orey Gilliam, inicia um período de reerguida do software.

2004 – ICQ retoma seu crescimento e, focado em países como Ucrânia, Rússia e Israel, torna-se, nos meses seguintes, um dos setores mais lucrativos da AOL.

2005 – Com sangue novo, o ICQ atrai muitas parcerias com sites (de busca, inclusive), emissoras de TV e grandes marcas.

2006/ 2008 – Ainda sem conseguir a expansão do seu mercado para outros países, o ICQ inova suas estruturas com Voip, SMS, sistemas de busca, perfis detalhados de usuários e galerias de imagens e emoticons.

2009 – AOL e Time Warner se separam e deixam o ICQ como um filho abandonado. Sem muita escolha, o comando é trocado: Gilliam dá lugar a Eliav Moshe, que se torna o diretor de operações do serviço.

2010 – Depois de lançar sua nova versão em 16 línguas e ser sondado pela empresa sul-africana Naspers, o ICQ é comprado por 187,5 milhões de dólares pela gigante russa Digital Sky Technologies (ou apenas DST) – menos da metade do valor que a AOL pagou pela Mirabillis. Hoje, de acordo com a comScore, o serviço possui 32 milhões de visitantes únicos todo mês e cerca de 80% dos seus usuários têm entre 13 e 29 anos – na grande maioria, moradores de países como Rússia, Alemanha, República Tcheca e Israel.

2011 – (Digite sua mensagem aqui).

Como era seu portal favorito há alguns anos atrás?

Hoje em dia o conteúdo da internet é extenso, assim como a tecnologia utilizada nas páginas e seus conteúdos. Com tudo isso, às vezes é bom relembrar como tudo começou, a grande caminhada para chegar até como é hoje. Aquele portal com bastante conteúdo e visual bem-feito nem sempre foi daquele jeito. Vamos fazer agora uma pequena “volta no tempo” para relembrar como foi a internet que (talvez) você acessava há alguns anos.

AOL.com em 1996

Apple.com em 1997

Google.com em 1998

Microsoft.com em 2001

MSN.com em 2000

UOL.com.br em 1996

Yahoo.com em 1996

Fonte: Internet Archive

Quais aplicativos valem a pena ter no iPhone?

Ao comprar um iPhone, após fazer o básico (atualizar agenda, carregar músicas, etc), a primeira grande dúvida da maioria é: quais aplicativos instalar? A biblioteca é enorme e com isso as dicas do iTunes ficam bem genéricas.

Echofon

Quem usa o Firefox pode optar pelo Echofon para ver o Twitter. Free.

eBuddy

Além de MSN, funciona com o Facebook, GTalk e ICQ. Free.

Facebook

Ficou bem adaptado para o iPhone. Free.

Dia & Noite

Aplicativo grátis do Bradesco. Além de acessar a sua conta, mostra as agências que estão ao seu redor e a distância que você tem de andar até elas.

Speed Test

Grátis. Para saber com exatidão a velocidade de sua rede 3G.

ICQ é comprado por US$187,5 milhões

O serviço de mensagens instantâneas ICQ foi comprado por uma empresa russa pelo valor de US$187,5 milhões.

O ICQ foi criado em 1996 pela empresa israelense Mirabilis, mas a AOL adquiriu os direitos do programa em junho de 1998.

Popular no Brasil no final da década de 90 e início dos anos 2000, ele perdeu a força com a popularização do MSN Messenger, que já vinha instalado na maioria dos computadores.

Disponível em 16 línguas, o ICQ tem mais de 32 milhões de unique visitors por mês, de acordo com a Comscore. Cerca de 80% dos seus usuários têm entre 13 e 29 anos e ele é sucesso em países como a Rússia, a Alemanha, a República Tcheca e Israel.

A Digital Sky Technologies Limited (DST), companhia que comprou o ICQ, é a maior empresa de internet dos países de língua russa e leste europeu. A DST e DST Global possuem ações também do Facebook, Zynga e GroupOn.

Grátis: 50 downloads, sites e serviços web para usar e abusar

Executar tarefas online mais rapidamente, eliminar pragas do computador, acessar outro PC pela web para fazer manutenção remota, editar áudio e imagens. É possível fazer tudo isso sem gastar um centavo. Abaixo segue uma lista com 50 ferramentas para lá de úteis, entre downloads, serviços e sites.

A lista está organizada em 9 categorias. É realmente muita coisa, e se estiver em dúvida por onde começar, a primeira parte exibe os grandes hits entre aplicativos grátis, serviços e sites.

Claro, há também os serviços e softwares mais populares, como organizadores de fotos, customizadores do sistema, softwares de segurança e backup, entre outros, que vão ajudar a organizar a vida. Use e abuse dessa lista e salve essa matéria nos favoritos, pois as ferramentas podem ser úteis por muito tempo.

Os hits da internet

  • Ad-Aware Free: Elimina os spywares.
  • Audacity: Gravação e edição de sons.
  • BitTorrent: Compartilha arquivos online facilmente.
  • Dropbox: Sincronização online de arquivos.
  • Evite: Organizou uma festa? Prepare e envie convites sofisticados em um piscar de olhos.
  • IMDb: Tudo e mais um pouco sobre cinema.
  • OpenOffice.org: Uma alternativa ao pacote Office da Microsoft.
  • The GIMP: Editor de imagens em código livre.
  • Trillian Basic: Comunicador instantâneo compatível com vários serviços (MSN, Google Talk e mais). Disponível para Windows, Mac e iPhone.

Antivírus (é bom ter várias opções, pois não existe antivírus perfeito)

Aplicativos e serviços para edição de áudio

  • Buddha Machine Wall: Uma fonte inesgotável de melodias para meditar.
  • Grooveshark: Ótimo site para ouvir música.
  • Mp3Tag: Ótimo editor de etiquetas e capas de álbuns de músicas.
  • Myna: Editor avançado de áudio.
  • Speakershare: Compartilhe os melhores alto-falantes de um PC com outros computadores.
  • TunesBag: Ouça suas músicas pelo navegador, em qualquer lugar, sem acessar seu PC ou Mac.

Utilitários para backup

  • Backupify: 1GB de armazenamento, backups semanais e restauração para o PC.
  • Comodo Time Machine: Backup para proteger arquivos, pastas e programas.
  • Macrium Reflect Free Edition: Cria imagem do disco inteiro para recuperação futura.
  • SDExplorer: Crie um disco virtual de 25 GB online e acesse pelo Windows Explorer.
  • SpiderOak: 2 GB de espaço online para backup; salva automaticamente os arquivos quando uma mudança é detectada.
  • SyncToy: Utilitário da Microsoft para sincronizar arquivos de diferentes PCs em rede.
  • Todo Backup: Gerencie imagens do disco rígido e partições.

Complementos para o navegador, aplicativos e utilitários

  • CeeVee: Faça currículos atraentes e compartilhe na web.
  • Lazarus: Recupera a digitação feita em formulários de qualquer site.
  • MailBrowser: Melhor gerenciamento dos contatos e anexos do Gmail.
  • PDF to Word: Converta arquivos PDF em formato DOC editável.

Serviços de colaboração

  • LogMeIn Express: Compartilhe seu PC com qualquer outro conectado a web (ótimo para manutenção remota).
  • Tinychat: Cria grupos de discussão instantâneos, com webcam.
  • Yammer: Recurso de comunicação para empresas, usando o Facebook.
  • Zoho Discussions: Cria um forum facilmente para ser compartilhado.

Customização da área de trabalho

  • BumpTop: Uma área de trabalho em 3D.
  • DeskHedron: Cria até nove ambientes de área de trabalho que são alternados pelo mouse ou teclas de atalho.
  • Fences: Organiza os ícones do desktop exibindo apenas os mais utilizados. Ao passar o mouse, os ícones escondidos surgem novamente.
  • InterfaceLift: Biblioteca de papéis de parede.
  • Krento: Um modo prático e bonito para executar as aplicações.
  • Rainmeter: Uma versão alternativa ao desktop do Windows, muito atrativo.
  • StandaloneStack 2: Atalhos com animações que facilitam o uso de áreas de trabalho repletas de ícones.
  • T3Desk: Reorganiza os programas na área de trabalho, sem minimizá-los.

Aplicações para dispositivos móveis

  • BlueRetriever: Ajuda a recuperar gadgets perdidos.
  • Connectify: Transforme seu laptop em um hotspot Wi-Fi.
  • Instapaper: Uma simples ferramenta que baixa textos da web para serem lidos no celular.
  • Xpenser: Mantenha o controle de suas finanças na web.

Utilitários para fotos

  • Easy Poster Printer: Imprime um poster gigante (20×20 metros) a partir de uma foto digital comum.
  • The Golden Hour Calculator: Encontra o melhor horário para obter boa iluminação para tirar fotos ao ar livre.
  • Paint.Net: Uma alternativa leve ao famoso Photoshop.
  • Phoenix: Editor de imagens baseado na web.

Tire dúvidas sobre como economizar a bateria do celular

Perdeu uma ligação importante ou não conseguiu ler um e-mail por culpa da bateria, que acabou bem nessa hora? Algumas dicas simples e alguns mitos explicados podem ajudar a manter o celular funcionando por mais tempo.

Qual tarefa consome mais energia? E a melhor maneira para carregar a bateria? Celulares com display maior precisam de mais energia? As respostas para tais dúvidas foram dadas por Fabricio Habib, gerente de produtos da Samsung, e Rodrigo Ayres, gerente de produtos de celular da LG.

Qual é a função que mais consome energia em um celular ou smartphone?

O tráfego de dados, como o envio de e-mails, navegação pela internet, uso de redes sociais ou uso de MSN, é a atividade que mais consome bateria dos celulares, principalmente a dos smartphones – já que são aparelhos voltados, principalmente, para tais tarefas.

Qual é a melhor maneira para recarregar a bateria? Esperar terminar toda a carga ou posso recarregar quando quiser?

As baterias atuais são feitas de íon lítio e, diferente das antigas, não possuem mais o chamado “efeito memória”. Assim, não é preciso carregá-las até o máximo e esperar descarregá-las até o mínimo, como acontecia com as de níquel cádmio, usadas em celulares antigos.

Desabilitar funções como Bluetooth e Wi-Fi ajudam a economizar a bateria?

De acordo com Fabricio Habib, da Samsung, desativar a busca por redes sem fio, como Wi-Fi e Bluetooth, contribui para economizar bateria do celular. Quando menos tarefas o aparelho estiver executando, menor o consumo. Ainda segundo Habib, o Wi-Fi ligado consome mais energia do que o Bluetooth. “Quando o Bluetooth está só ativo, mas não conectado a outro dispositivo, não existe muita variação no consumo de energia”, diz o gerente.

Navegar pela internet consome muita bateria?

Sim, o tráfego de dados, como já falado, é a atividade que mais consome energia em um celular. Redes 3G, inclusive, consomem mais bateria que as 2G, como GPRS e Edge.

É melhor colocar sons MP3 ou os “normais” para chamadas e mensagens? Qual tipo de arquivo economiza mais?

Tanto faz colocar um som com extensão .mp3 ou os padrões do celular, segundo Rodrigo Ayres, da LG. “O que conta é o tempo que o som vai tocar antes do usuário atender a ligação”, explica.

Deixar o celular em “modo avião” ajuda a economizar energia?

Quando o aparelho está em “modo avião” ele deixa de executar várias atividades, inclusive a de buscar a rede da operadora. Quanto menos tarefas está processando, menos bateria será preciso. Deixar no “modo avião” é indicado quando o usuário não está usando o serviço de voz e dados, mas quer editar documentos ou ler emails previamente baixados.

Displays maiores consomem mais energia?

Sim, quanto maior resolução e maior o display, mais bateria será preciso.

Fonte: Uol Tecnologia