HD ‘mágico’ transforma 128 MB em 500 GB (mas não funciona, claro!)

Um homem foi até a fronteira da Rússia com a China para comprar, de um CONTRABANDISTA, um HD externo de 500GB. A probabilidade de dar alguma zebra era grande, muito grande. E adivinhem o que aconteceu quando o russo tentou utilizar o HD pela primeira vez: claro, não funcionou, era falso…

Quando o russo foi até a loja (vulgo contrabandista) onde havia comprado o HD, não conseguiu encontrar ninguém para trocar a mercadoria. Mas o que mais chama atenção foi a engenhoca que o falsificador montou para não ser descoberto. Depois de abrir o case, o russo encontrou um pequeno chip com uma memória de 128 MB programada para representar 500GB aos olhos de quem o plugasse em algum computador; e de quebra uns pesinhos para ninguém desconfiar da leveza.

E mais: se alguém resolvesse passar um arquivo de mais de 128 MB para dentro do HD, a memória forjaria espaço interno, alocando dados em cima de dados previamente armazenados. Ou seja, arquivo perdido na certa!

Se a moda pega…

Fonte: CrunchGear

Anúncios

Livre-se dos incômodos do PC: dicas do Windows 7, Office e monitores

Algumas vezes os fabricantes de hardware e desenvolvedores de software fazem coisas estranhas, como incluir um cabo VGA com um monitor que deveria usar conexões HDMI, mudar um formato de arquivo ou insistir para que você aceite um contrato. Veja o que fazer.

Converta gravações de TV do Windows 7 para o formato DVR-MS

Apesar de alguns bugs incrivelmente chatos, a versão do Windows Media Center inclusa com o Windows 7 é sem dúvida a melhor de todas. A única reclamação é a mudança no formato dos vídeos gravados, do DVR-MS para o novo WTV.

O problema é que arquivos WTV são incompatíveis com as versões do Windows Media Center e Windows Media Player do Windows XP e Vista. Em outras palavras, se você quiser assistir a programas gravados em micros mais antigos da casa, “azar o seu”.

Quer dizer, há um “jeitinho”: a Microsoft colocou um conversor de WTV para DVR-MS escondido no Windows 7. Veja como usá-lo:

» Abra a pasta “Public Recorded TV”
» Clique com o botão direito no arquivo que deseja converter
» Escolha “Convert do DVR-MS Format”
» Espere

O processo pode demorar entre 5 a 30 minutos, dependendo do desempenho de seu computador e duração do vídeo. Quando estiver terminado, você vai encontrar uma versão em DVR-MS do arquivo logo abaixo da versão em WTV: procure o arquivo com o sufixo -DVRMS adicionado ao nome. Agora é só copiar este arquivo para seu micro com o XP ou Vista e aproveitar. Ele deve tocar sem problemas.

Faça o Office parar de lhe pedir para aceitar o Contrato de Licença

Algumas pessoas têm um problema exasperante: elas instalam o Microsoft Office 2003 em seu micro novinho equipado com o Windows 7, e a cada vez que abrem o programa, uma janela lhes forçam a aceitar o Contrato de Licença do programa.

Tá bom, Microsoft, ela aceita! Ela aceita!

Não vamos nos preocupar em descobrir porque esse bug acontece (afinal de contas, é um produto da Microsoft…), mas vamos corrigí-lo. A solução também funciona no Windows Vista.

Abra o Windows Explorer e encontre a pasta que contém os arquivos executáveis do Microsoft Office (os programas, e não os atalhos). Em meu micro eles estão em C:\Arquivos de Programas (x86)\Microsoft Office\Office11. Encontre os executáveis dos programas que exibem o problema. Vamos usar o Outlook como exemplo.

Clique com o botão direito do mouse sobre o ícone do executável do Outlook e escolha a opção “Executar como Administrador”. O programa vai abrir e o contrato de licença vai surgir na tela. Aceite-o (será a última vez, prometo).

Feche o programa, aguarde alguns instantes e abra-o novamente do jeito com o qual você está acostumado, pelo atalho no Menu Iniciar ou no Desktop. Pronto! Nada mais de contrato!. Repita o processo para quaisquer outros programas que exibam o mesmo problema.

Escolha entre conexões VGA, DVI e HDMI para seu monitor

Um leitor recentemente comprou um computador Dell que veio com um monitor LCD de 21.5 polegadas. Embora esse monitor tenha entradas VGA, DVI e HDMI, a caixa continha apenas um cabo VGA – mesmo que as instruções de instalação recomendassem uma conexão DVI ou HDMI! Ele quer saber o motivo, e se vale a pena comprar um outro cabo.

Vou começar respondendo à segunda pergunta.

Recomendo sim usar um outro cabo para conectar seu monitor ao seu PC. Entretanto, você não precisa se preocupar com cabos HDMI a não ser que esteja planejando assistir a filmes em Blu-ray (se seu PC tiver uma saída HDMI e um leitor de Blu-ray). Mesmo nesse caso, uma conexão DVI suporta o protocolo HDCP, necessário para exibição de conteúdo “protegido” no PC. Mas  HDMI é a melhor opção se você pretende conectar seu PC a uma TV de alta definição.

Eu escolheria um cabo DVI. Ele lhe dará sinal digital perfeito (VGA é analógico) e uma imagem muito mais nítida em resoluções mais altas. Seu monitor Dell ST2210 tem uma resolução nativa de 1920 x 1080 pixels, que é a que deve usar. Não se preocupe pois o cabo não vai custar uma fortuna: ele pode ser facilmente encontrado em sites de comércio eletrônico por cerca de R$ 50. Fuja dos cabos “profissionais” e “banhados a ouro” que podem custar mais de R$ 300: eles não têm vantagem nenhuma.

Mas voltando ao assunto, por que a maioria dos monitores vem apenas com um cabo VGA? VGA é o tipo de conexão de vídeo mais comum em todo mundo, e portanto os cabos, produzidos em larga escala, são baratos. Os vendedores poderiam incluir no pacote também um cabo DVI, mas aí pelo menos um deles seria desperdiçado.

Como resolver problemas que surgem na hora de remover um pendrive

O que fazer quando, ao remover um drive USB, o Windows indica que ele está sendo usado por um programa, mesmo que aparentemente ele não esteja? Realmente, o Windows deveria dizer qual é o programa, no entanto ele não diz. O que significa que você terá que fazer um trabalho de detetive para achá-lo.

Comece o trabalho fazendo o que o Windows recomenda: espere um pouco e tente remover o dispositivo novamente. Certifique-se de que a unidade aberta não esteja sendo usada pelo Windows Explorer. Na verdade, você deve fechar todas as janelas do Windows Explorer. Em seguida, analise a bandeja do sistema e certifique-se de que o programa que usou o drive (ou foi lançado a partir dele) ainda não está funcionando em segundo plano.

Se essas dicas não resolverem, verifique seus processos de execução: clique com o botão direito do mouse em um espaço em branco na barra de tarefas, selecione Gerenciador de Tarefas e clique na guia Processos. Examine a lista de processos em execução. Se você encontrar um provável culpado, selecione e clique na opção Finalizar Processo, após isso, confirme a sua escolha.

Não funcionou, também? Tente remover novamente. Se você ainda não conseguir, abaixo você tem três opções:

A primeira é a escolha óbvia: desligue o Windows (não use a opção hibernar), remova o drive, em seguida reinicie o sistema. Isto é completamente seguro, e ele irá rodar normalmente, apenas a reinicialização será mais demorada, porque todos os seus programas e arquivos precisarão ser recarregados.

A segunda opção é um pouco imprudente: respire fundo, em seguida, remova a unidade. Apesar da advertência, eu confesso que fiz isso em várias ocasiões, e nunca aconteceu nenhum desastre. Mas ouvi dizer que pessoas usando um editor de textos não deveriam seguir o meu exemplo, pois podem ter surpresas ruins.

A terceira e melhor opção é usar um software que possa identificar e até mesmo interromper qualquer processo que ainda esteja utilizando algo desta unidade. Abaixo duas opções:

USB Safely Remove é o mais fácil desses dois programas. Quando você instalar, ele substitui o Windows Safely Remove com o próprio ícone. Clique nele e se ele não conseguir remover o dispositivo, ele irá mostrar uma caixa de diálogo, que lhe dá processos com problema. Um prático botão Stop Again permite que você repita a remoção. O programa USB Safely Remove é shareware, portando um software pago, sendo o uso gratuito por tempo determinado.

Unlocker, por outro lado, é totalmente gratuito. Assim como o anterior, ele também ajuda a apagar os arquivos do computador. Se o Windows disser que a unidade não pode ser removida com segurança, clique com o botão direito e selecione Unlocker para obter uma lista dos processos com problema.

Troque seus amigos por uma luva que joga pedra-papel-tesoura

Se você não tem amigos, ou se tem disposição e recursos para criar suas próprias máquinas, dê uma olhada na invenção de Steve Hoefer. A luva criada por ele é capaz de jogar “pedra-papel-tesoura” (ou JonKenPon, ou rock-paper-scissors) contra um humano.

Segundo Steve, a luva é programada para aprender o comportamento do jogador e conseguir derrotá-lo. Em seu site, o inventor detalha o processo de criação, exibe um vídeo com a luva em funcionamento e revela até mesmo as etapas, passo a passo, para você fazer sua própria versão – usando acelerômetros, LEDs e um pouco de paciência.

Mouse em formato de chinelo auxilia portadores de deficiência

À primeira vista parece mais um acessório “apenas exótico” concebido por designers, mas na verdade é um objeto com finalidade prática bastante louvável – concebido por designers. O objetivo do Toe Mouse é permitir que pessoas sem os movimentos dos membros superiores possam utilizar um mouse com os pés para manipular um computador.

Com o formato inspirado por chinelos de dedo e referências visuais de um jet-esqui, o projeto do designer Liu Yi ainda é um só conceito, mas seria bacana ver tudo isso sair do papel um dia – veja mais imagens no Yanko Design.

Fonte: Yanko Design

Foto maior que scanner?

Como digitalizar uma imagem com tamanho maior do que o visor do scanner?

Se, por exemplo, seu scanner suporta no máximo uma folha A4 (21 por 29,7 centímetros), é possível digitalizar uma imagem de tamanho maior que esse? Sim, com um truque. Escaneie em duas etapas. Depois, num programa como o Photoshop ou o Paint Shop Pro, promova a fusão dos dois arquivos. Para facilitar a operação, garanta que uma faixa da imagem, no lado onde vai ser feita a emenda, esteja presente nas duas partes da figura. É mais fácil fazer a emenda por sobreposição. Coloque cada parte numa camada (layer) e faça a montagem.