ICQ: Veja o histórico do programa de mensagens instantâneas

O ICQ, serviço de mensagens instantâneas, foi vendido dia 28 de abril, por US$187,5 milhões à Digital Sky Technologies Limited (DST) – empresa russa que também possui ações do Zynga, Facebook e GroupOn.

Criado em 1996 pela Mirabilis, o ICQ já tinha sido vendido para AOL Time Warner em 1998, por cerca US$ 407 milhões na época. O programa fez enorme sucesso no Brasil durante o final da década de 90 e até metade dos anos 2000, quando o MSN tomou conta do mercado de messengers no país.

Os usuários de Internet que viveram esse período lembram, com nostalgia, do tempo em que a comunicação era feita através do ICQ. Apesar de a versão 7 do comunicador instantâneo trazer muitas novidades, como um novo visual e integração com redes sociais, ela não emplacou novamente no Brasil, já que o Windows Live Messenger ainda é absoluto na preferência dos usuários.

Esse cenário contrasta com a Rússia. Lá, o ICQ ainda continua rei entre os usuários. De acordo com a empresa de pesquisa comScore, das 33 milhões de pessoas que utilizam o ICQ, 8,5 milhões são russas. Não é a toa, então, que o serviço foi comprado por uma companhia daquele país.

A queda do império

1995 – Os israelenses Yair Goldfinger, Sefi Vigiser, Amnon Amir e Arik Vardi unem-se para criar um programa de comunicação online em tempo real que fosse fácil de usar.

1996 – Os quatro fundam a Mirabilis e distribuem o ICQ para uso restrito. A sigla é um trocadilho para “I Seek You” (“Eu Procuro Você”, em português).

1997 – A versão beta é lançada para a plataforma Windows. A velocidade das mensagens e a lista de contatos surpreende os usuários.

1998 – O ICQ faz muito sucesso e é vendido para a AOL por US$ 407 milhões. O valor é o mais alto pago à uma empresa de Israel na história.

1999 – Provavelmente, a melhor época do ICQ. Empresas que ainda não tinham despertado para o mercado de comunicação instantânea começam a se mexer. Em julho é lançada a primeira versão do MSN Messenger pela Microsoft.

2000 – A AOL engloba o seu mensageiro instantâneo, o AIM, ao ICQ. Seus usuários podem, agora, compartilhar os recursos dos dois programas. Por causa disso, o ICQ foi deixado um pouco de lado, abrindo o terreno para a concorrência.

2001 – A Microsoft começa a promover o MSN. Gradativamente, o comunicador da Microsoft ganha terreno no mundo. No Brasil, entretanto, o ICQ, ainda é unanimidade.

2002 – Começa a cair o império do ICQ nas Américas. No Oriente e em alguns países da Europa ocidental, o programa ainda possui uma boa aceitação e é muito utilizado. Algumas crises surgem na AOL.

2003 – É trocado o comando do ICQ, que passa a ser voltado a mercados mais específicos. Orey Gillian, o novo CEO, tenta iniciar uma nova era do programa. No Brasil, porém, o aplicativo tem seu último suspiro.

2004 – O ICQ cresce novamente no Leste Europeu, em países como Rússia e Ucrânia, tornando-se novamente uma das áreas mais lucrativas da AOL.

2005 – O ICQ fecha parcerias com diversos sites e emissoras de televisão.

2006 a 2008 – O programa inova em diversos sentidos. Cria suporte à VOIP e SMS, emoticons (como no MSN), galeria de fotos e muito mais.

2009 – AOL e Timer Warner rompem e o ICQ é deixado de lado. Eliav Moshe, torna-se o CEO.

2010 – É lançada a sétima versão do ICQ, com suporte a 16 línguas e a redes sociais. Em abril, o ICQ é vendido por US$ 187,5 milhões para a empresa russa Digital Sky Technologies.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: